Culinária no Nordeste brasileiro: quais são as comidas típicas? - Blog Rota das Emoções: O melhor sobre a Rota das Emoções
Culinária no Nordeste brasileiro: quais são as comidas típicas?

O Nordeste brasileiro é conhecido e amado por pessoas de todos os cantos do mundo. Isso se deve às belezas naturais, belas praias, clima agradável, gente hospitaleira e, claro, às comidas típicas nordestinas.

Quem se interessa por experiências gastronômicas fica encantado com todo o sabor dessa cozinha que vem da mistura dos povos que já passaram pela região, como os índios, os africanos e os europeus. Cada um deles acrescentou muitos ingredientes e temperos, sendo que o resultado são pratos incomparáveis e inesquecíveis.

Está em busca de um roteiro para a região e quer saber quais comidas encontrará por lá? Então, prepare-se! Neste artigo, vamos listar algumas das receitas mais famosas do Nordeste brasileiro. Se você já está de malas prontas, ficará ainda mais ansioso.

Os principais ingredientes das comidas típicas nordestinas

O Brasil é bastante extenso, portanto cada região conta com clima e características ambientais que favorecem o crescimento e o consumo de determinados produtos. Além dos frutos nativos, a culinária absorveu ingredientes e temperos trazidos por povos estrangeiros. No Nordeste, alguns dos itens que estão presentes em muitas casas e restaurantes são:

  • o azeite de dendê;
  • a pimenta;
  • o coco e o leite de coco;
  • o feijão de corda (ou fradinho);
  • o feijão verde.

Além disso, as comidas típicas nordestinas trazem carnes, peixes, frutos do mar, queijo coalho e mandioca, entre outras iguarias.

As receitas típicas do Nordeste

O Nordeste é composto por nove estados, então pode haver variações entre os pratos mais famosos e as formas de preparo, assim como diferentes valores. Contudo, separamos abaixo algumas opções que são encontradas em diversas regiões. Confira!

Tapioca

Em boa parte dos estados nordestinos, o dia começa com uma boa tapioca (ou beiju, como o ingrediente é conhecido pelos moradores). Mas isso não impede ninguém de apreciá-la também na sobremesa, no lanche da tarde ou a qualquer hora do dia. Feita da fécula extraída da mandioca, essa iguaria de origem indígena apresenta vários recheios, doces ou salgados, porém o tradicional leva coco e queijo coalho.

Além de deliciosa, a tapioca é coisa séria. Em 2006, o Conselho de Preservação do Sítio Histórico de Olinda a nomeou como Patrimônio Imaterial e Cultural da Cidade. Também existe a tradicional e respeitada Associação de Tapioqueiras de Olinda.

Baião de Dois

O Baião de Dois é outro prato bastante conhecido quando se fala em comidas típicas nordestinas. Muitos dizem que a incrível mistura de arroz, feijão, carne seca e queijo coalho tem origem em um fato um pouco triste: o baião de dois teria surgido no Ceará, no meio da seca do sertão nordestino, onde a comida era escassa, difícil de ser conservada e nada podia ser desperdiçado.

Também há quem veja influência dos imigrantes árabes, que teriam trocado a lentilha pelo feijão verde. De qualquer forma, o prato é mesmo delicioso — tanto que foi homenageado até pelo rei do baião, Luiz Gonzaga: “ó baião que bom que sois, se o baião é bom sozinho, que dirá baião de dois”.

Moqueca

Por ter uma imensa área costeira, o Nordeste é rico em peixes e frutos do mar, então não poderia deixar de caprichar nas receitas com essas delícias. Uma delas é a moqueca, que leva posta de peixe, azeite de dendê, leite de coco e coentro na versão nordestina.

Existem outras versões com camarão, siri e alguns ingredientes a mais ou a menos — e cada brasileiro parece ter uma receita de moqueca. Mas a tradicional, que você vai encontrar nos restaurantes e nas casas dos moradores, é essa que citamos.

Carne de sol

Com queijo coalho, feijão de corda, manteiga de garrafa e muito mais! A carne de sol é bovina, ligeiramente salgada e vai bem com tudo. Talvez por isso, esteja tão presente nas receitas da culinária do Nordeste. Algumas de suas versões mais tradicionais são acompanhadas de macaxeira (conhecida pelo Brasil também como mandioca ou aipim), na moranga ou no escondidinho.

Existe até a paçoca de carne seca, que é uma farofa da carne na versão moída, com farinha de mandioca e cebola. O prato já é delicioso quando o comemos sozinho, às colheradas, mas costuma ser consumido com banana e baião de dois.

Cuscuz

Essa é mais uma iguaria presente no dia a dia de muitas casas nordestinas, consumida tanto no café da manhã quanto nas refeições principais. Ele é feito com farinha de milho, sendo que uma das opções para o início do dia ou um lanche da tarde é o cuscuz umedecido com leite ou leite de coco e acompanhado de manteiga (que derrete quando o prato vai para a mesa ainda quente).

Contudo, trata-se de um item bastante versátil, que pode receber queijo coalho e carne ou complementar a refeição em forma de farofa com verdura, ovos e bacon, entre outros itens. Sem dúvida, esse é mais um prato da lista de comidas típicas nordestinas que vale a pena experimentar!

Maria Isabel

Estamos falando de um prato bastante característico da culinária do Piauí — inclusive, há um festival gastronômico que leva o seu nome em Teresina. Entretanto, também é possível encontrá-lo em outras regiões de estados como Ceará, Rio Grande do Norte e Maranhão. O nome Maria Isabel foi inspirado nas filhas da criadora da receita.

Conta-se que, em épocas antigas, só os homens podiam comer carne. Assim, uma mãe que não tinha o que oferecer a seus filhos pegou parte da carne que seria para o pai, cortou-a em cubos e fez a comida para toda a família. A refeição é preparada com arroz, carne seca, cebola, alho, pimentão, cheiro verde e pimenta. Ou seja: não tem como não ser saborosa, concorda?

Sarapatel

Esse é um prato um pouco mais polêmico entre as comidas típicas nordestinas. Há quem ame o sarapatel e aquelas pessoas que não tenham nem coragem de experimentá-lo. Isso provavelmente se deve ao exótico ingrediente principal: as vísceras de bode (que pode ser substituído por porco ou carneiro).

Para completar, a carne é cozida com o sangue do animal e pode ser acompanhada de farinha e pimenta. Trata-se de uma receita certamente forte, mas repleta de ousadia e sabor, a qual você não pode deixar de provar!

Arrumadinho

O arrumadinho é mais um quitute que vale a pena ser experimentado durante a sua viagem pelo Nordeste. Ele é feito com ingredientes regionais e tudo é disposto em apenas um prato — daí vem o nome da iguaria.

Quem vê essa comida colorida e convidativa dificilmente resiste à tentação de prová-la. A receita inclui feijão de corda ou feijão verde, carne desfiada, vinagrete e farinha de mandioca. Sem dúvida, é uma boa opção para o almoço!

Bobó de camarão

Trata-se de um prato herdado dos povos africanos, transformado com o passar dos anos nessa deliciosa receita afro-brasileira. O bobó leva camarão, leite de coco, mandioca, azeite de dendê, castanha de caju e muitos temperos. Não dá para descrever: é preciso provar e se deliciar! Você pode encontrá-lo em destinos da Bahia, Alagoas e Ceará, entre outros.

Bolo de rolo

Ainda há comidas típicas nordestinas para quem gosta de doces. Inclusive, esse quitute tem um título importante, sendo reconhecido como Patrimônio Imaterial de Pernambuco. Para a nossa sorte, é possível encontrar quase a mesma receita por todo o Nordeste: finas camadas de massa enroladas com goiabada.

Hoje em dia, existem versões recheadas com doce de leite ou chocolate, mas a original de Portugal (e a preferida de muitos) é mesmo aquela que leva o doce de goiaba.

Caranguejada

Além das belas praias, o Nordeste brasileiro tem muitos manguezais. Nesse ecossistema, a água do mar avança para o solo e cria uma vegetação específica, que é o habitat natural dos caranguejos. Por isso, a caranguejada é comum na região, sendo um dos pratos preferidos dos moradores e fazendo sucesso entre os turistas.

A receita tradicional leva ingredientes regionais, como o leite de coco, além de azeite e muito tempero. Ao pedir esse prato em um restaurante, provavelmente os caranguejos virão banhados no caldo do leite de coco, pois eles podem ficar secos muito rapidamente. Portanto, a dica para se deliciar é mergulhar sempre a carne no caldo. É de lamber os dedos!

Guaraná Jesus

É verdade que essa iguaria não é um prato, mas acredite: o Guaraná Jesus se tornou um dos ícones do Maranhão! A cor rosa, o sabor e o cheiro adocicados, com notas de cravo e canela, são as principais características da bebida que já caiu no gosto dos brasileiros.

O Guaraná foi criado em 1927, pelo farmacêutico Jesus Norberto Gomes, e hoje faz parte do portfólio da Coca-Cola Company. Então, se você estiver com viagem marcada para o Maranhão, já pode ir treinando o pedido: “me vê um Jesus aí”!

Hum! Todas as receitas são de encher a boca d’água, não é mesmo? Esperamos que você tenha sentido o mesmo e já esteja sonhando com a próxima oportunidade de viajar para provar as comidas típicas nordestinas. Com certeza valerá a pena e será inesquecível!

Se você gosta de temas relacionados a viagens e cultura, siga nossos parceiros no FacebookTwitterInstagram e YouTube para acompanhar outras dicas!

Comments (8)

  1. Avatar

    Muito bom essa receita parabens pela dica otimo site

    1. Avatar

      Obrigada Eliane! Se quiser colocar em práticas nossas dicas, acesse http://www.ecoadventure.tur.br

  2. Avatar

    Fiquei feliz com as explicações na materia, me serviu muito e vou indicar com certeza. Quero aprender mais sobre isso porque gosto demais e passo muito tempo no dia a dia pesquisando o assunto. Quero agradecer e seguir seu site. Gratidão!

    1. Avatar

      Oi Mara, Tudo bem? Fico feliz pelo seu comentário. Logo trago mais novidades! Até breve.

  3. Avatar

    Gostei muito do seu post, vou acompanhar o seu blog/site.

  4. Avatar

    Olá, obrigado pela vossa disponibilidade.
    Gostei muito do seu post, vou acompanhar o seu blog/site.
    Muito obrigado
    Manuela Silva

  5. Avatar

    Caramba!Gostei muito do artigo do seu site. Estarei acompanhando sempre.Grata!!!

    1. Avatar

      Obrigada Vera! Volte sempre ;))

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This