Tábua das marés: aproveite as maravilhas das marés baixas no Nordeste

9 minutos para ler
Powered by Rock Convert

litoral nordestino é um dos destinos turísticos mais procurados do Brasil. Mas, pela falta de orientação, suporte ou conhecimento sobre assuntos como a tábua das marés, por exemplo, muitos visitantes não conseguem explorar suas viagens ao máximo e acabam desperdiçando a oportunidade de realizar um roteiro incrível!

Mas não se preocupe, pois vamos ajudar você! Quer saber mais sobre o tema? Continue lendo este artigo para descobrir como a tábua das marés pode contribuir e fazer maravilhas por sua viagem ao litoral nordestino.

O que é a tábua das marés?

Você já deve ter ouvido falar em maré, certo? Trata-se de um movimento periódico do mar, no qual as águas se elevam ou abaixam em relação a uma referência fixa definida no solo. Esse fenômeno natural é influenciado diretamente pelas fases da lua, pelo horário e pelo local da avaliação. De acordo com o nível da maré, são formadas piscinas naturais ou outros atrativos que movimentam o turismo na Região Nordeste.

A tábua das marés surgiu com o objetivo de catalogar e prever o movimento das marés. Assim, seria possível identificar essas mudanças com antecedência e orientar os surfistas, pescadores, mergulhadores e até turistas sobre as condições do mar.

As informações são divulgadas pela Marinha Brasileira, mas também podem ser checadas em alguns sites de previsão do tempo ou aparelhos eletrônicos, como relógios. Esses dados podem ser consultados com bastante antecedência e garante que a sua viagem será proveitosa.

Para verificar as condições da maré, você precisa acessar o site de sua preferência e colocar o destino escolhido — ou o porto mais próximo da região —, além do mês de sua viagem. Após essa seleção, é disponibilizada uma lista com todas as marés mínimas e máximas de cada dia do mês.

Os resultados apresentam sempre quatro marés por dia (duas altas e duas baixas) e o horário do pico de cada uma delas. É importante lembrar que as piscinas naturais são formadas quando a maré está vazante, ou seja, diminuindo.

Para agendar seu passeio e aproveitar ao máximo da viagem, veja as condições meteorológicas (sem chuvas) e confira o nível mínimo do dia na tábua das marés. O ideal é que ele esteja entre 0,1 e 0,3. No caso de dúvidas, não deixe de consultar seu agente de viagem sobre as melhores opções.

Como fazer um bom uso da tábua das marés?

Em alguns destinos da Região Nordeste, a maré baixa gera belas piscinas naturais e permite ver os corais no mar, a migração dos peixes ou a formação de bancos de areia. Porém, para acompanhar toda essa beleza da natureza, é preciso usar a tábua das marés corretamente, de forma a identificar quais são os melhores dias para visitação. Veja algumas dicas:

Acompanhe as fases da lua

As fases da lua são fatores que influenciam diretamente a movimentação das marés. Por isso, fique atento! Nas luas cheia e nova, a mudança é mais radical e a maré atinge níveis mais baixos, deixando as piscinas naturais ainda mais cristalinas. Já nas luas crescente e minguante (no fenômeno conhecido como “maré morta”), a variação é bem pequena.

Chegue ao local com antecedência

Outra boa dica é chegar ao local escolhido pelos menos 90 minutos antes da hora prevista para o nível mínimo da maré. Após atingirem o ápice, as marés logo voltam a encher e a água vai, aos poucos, deixando de ser tão límpida.

Para desfrutar de sua experiência por completo, lembre-se de sempre calcular o tempo de deslocamento até as piscinas e verificar a disponibilidade do transporte. Busque realizar as reservas com antecedência e informe-se sobre o tempo previsto de deslocamento do hotel até à praia.

Se for possível, escolha viajar na semana em que a maré esteja mais baixa. Quanto menor, melhor. Os passeios realizados no meio da manhã, com o sol mais alto, também contribuem para que o cenário fique ainda mais bonito. Suas fotos ficarão incríveis!

Quais são os principais destinos nordestinos privilegiados pela maré baixa?

As piscinas naturais de Maragogi, em Alagoas e em Porto de Galinhas, Pernambuco, são super conhecidas no Brasil todo, mas o litoral nordestino tem um potencial ainda maior. É possível unir várias praias em uma única viagem ou até criar um roteiro temático sobre piscinas naturais.

Embora ainda pouco explorado, o litoral do Piauí guarda alguns dos principais destinos privilegiados pela maré baixa do Nordeste. Outros estados, como o Ceará, também reúnem verdadeiros paraísos, muitos deles bem próximos.

Powered by Rock Convert

Para que você tenha uma experiência ainda mais divertida em sua viagem, destacamos as principais atrações de alguns desses locais e como a tábua das marés favorece uma visitação inigualável. Confira abaixo!

Macapá

A 27 km da Praia de Barra Grande e um dos principais destinos turísticos do Piauí, a Praia de Macapá faz parte do município de Luís Correia. Ela é cercada por belas e paradisíacas paisagens. Por oferecer boas condições climáticas, o local é muito procurado pelos surfistas e praticantes de kitesurf.

Nos períodos de maré baixa, os bancos de areia formam uma paisagem incrível, que se assemelham a dunas conectadas pela água. As piscinas naturais são quentes e tranquilas, podendo ser acessadas a apenas 200 metros da praia.

Maramar

Um dos destinos mais bem estruturados do município de Luís Correia, a Praia de Maramar, conta com diversas opções de pousadas, casas de veraneio, restaurantes e barracas nas areias. Por sua proximidade com a Praia de Macapá, muitos turistas confundem as duas regiões.

O lugar é banhado pelo mar aberto e o vento forte é propício para a prática do kitesurf. Apesar disso, a praia é uma das mais escolhidas para viagens em família — seja pela tranquilidade da região, seja pelas belas piscinas naturais de águas transparentes e temperatura amena que se formam nos horários de baixa da maré.

Carnaubinha

Localizada no município de Luís Correia, a Praia de Carnaubinha recebeu esse nome devido à paisagem ao seu redor, que é repleta de carnaúbas (árvores típicas da região). Além da vegetação, o local ainda conta com belas dunas, águas tranquilas e piscinas naturais formadas nos períodos de maré baixa.

O cenário é selvagem, praticamente intocado pelo homem e perfeito para os amantes da natureza que buscam uma experiência tranquila e inesquecível. Vale lembrar que o acesso ao lugar é precário e deve ser feito com veículos 4×4.

Itaqui

Localizada a 2 km da famosa Praia do Coqueiro, a Praia de Itaqui é um paraíso escondido e pouco explorado do litoral piauiense. O cenário paradisíaco conta com dunas, vegetação rasteira e um farol estrategicamente posicionado para quem deseja apreciar o pôr do sol.

Para os visitantes que estão em busca da beleza das piscinas naturais, o vaivém das marés forma um refúgio entre as pedras da região. Esse é o destino ideal para crianças e viagens em família.

Jericoacoara

A praia paradisíaca de Jericoacoara também reserva boas experiências com a maré baixa. Um de seus principais atrativos, a Pedra Furada, está localizada em uma área que pode ser acessada por dois caminhos: a trilha da Praia da Malhada e a caminhada pelo Serrote. Na primeira opção, o turista leva cerca de 50 minutos caminhando entre rochas, cavernas, poços e piscinas naturais.

O percurso é um pouco mais longo do que a chegada pelo Serrote, mas ele proporciona uma maior interação com o meio ambiente e reserva paisagens únicas. No entanto, esse caminho só é possível durante a maré baixa, por isso é importante consultá-la para programar bem o passeio.

Mundaú e Flexeiras

Que tal conhecer dois lugares em uma única viagem? Mundaú e Flecheiras são praias vizinhas e ficam a aproximadamente 120 km da capital Fortaleza. Durante a maré baixa, são formadas piscinas naturais no mar, tornando o passeio ainda mais divertido. E o melhor é que essas piscinas se formam à beira-mar, ou seja, não é necessário realizar um passeio ou travessia de barco.

O que fazer se a maré não estiver adequada?

Normalmente a tábua das marés é mais utilizada para pescadores ou por quem pretende navegar; no entanto, os turistas também devem atentar-se a essa informação porque o fenômeno muda completamente a paisagem. Imagine viajar para um destino distante e não conseguir tirar aquela foto clássica com os peixinhos ou com bancos de areia. Seria frustrante voltar para casa sem ter aproveitado tudo que a viagem pôde oferecer.

Por esse motivo, você deve programar a viagem com cuidado e evitar a visita caso a maré não esteja adequada. Os períodos de chuva, a maré alta e até algumas luas não são recomendadas para quem deseja desfrutar das piscinas naturais. Veja algumas dicas:

  • evite a época de chuvas (abril a julho);
  • antes de sair para o passeio, verifique se a maré está vazante;
  • ao verificar a tábua das marés, confira se o nível está entre 0,1 e 0,3;
  • dê preferência ao período de lua cheia ou nova para programar a viagem;
  • chegue com pelo menos 1 hora e 30 minutos de antecedência do horário previsto;
  • caso tenha dúvidas, informe-se com um agente de viagens de sua confiança.

Como você pode ver, não faltam destinos incríveis para aproveitar as marés baixas no Nordeste. Elas são ideais para passeios com crianças e garantem visuais incríveis para curtir a dois ou com grupo de amigos. Com o auxílio da tábua das marés, sua experiência será ainda mais completa e especial.

Gostou do conteúdo? Você já visitou uma praia na maré baixa? Como foi a sua experiência? Responda aqui nos comentários.

Você também pode gostar

Deixe um comentário